fbpx

Você sabe a diferença da instalação termossifão x bombeada? Entenda agora!

Você sabe a diferença da instalação termossifão x bombeada? Entenda agora!

O sistema de aquecimento solar é uma excelente alternativa para aproveitar o potencial de incidência solar do Brasil. Nesse caso, é preciso contar com equipamentos de qualidade e com uma instalação adequada. Ao pensar na instalação dos componentes, há dois tipos: por gravidade (termossifão) e circulação forcada (bombeado).

As duas opções são utilizadas em casos distintos e precisam ser bem escolhidas para explorar ao máximo a funcionalidade. Assim, você tem a certeza de contar com água quente em qualquer situação.

A seguir, conheça as instalações em termossifão e bombeada e saiba qual escolher em cada cenário.

O que é circulação natural ou termossifão?

Primeiramente, vale compreender, de forma básica, como é o funcionamento desse sistema de aquecimento, tendo como base as placas ou coletores solares e o reservatório térmico de água ou boiler.

Os coletores são feitos basicamente de uma caixa e uma superfície absorvedora feita em alumínio, tubos para circulação da água em cobre, isolamento térmico em lã de vidro e por fim uma área externa feito de vidro incolor. Este último tem a função de permitir que os raios solares o atravesse e aqueçam a superfície absorvedora, transmitindo o calor para os tubos de cobre. Por fim o isolamento térmico e caixa de vidro não permitem que a energia absorvida se dissipe na parte traseira do coletor.

No final, a água aquecida no coletor é armazenada no reservatório, que tem isolamento para evitar a perda de temperatura.

Se a instalação for feita do modo adequado, essa circulação acontece de maneira totalmente natural através da gravidade. Essa alternativa é conhecida como termossifão.

Trata-se da modalidade mais instalada nas residências, justamente pela facilidade e pelo custo-benefício.

O que é instalação forçada ou sistema bombeado?

Já a instalação forçada também é conhecida como bombeada. O processo é realizado com o auxílio de uma motobomba,que faz com que água circule nos coletores solares mesmo que o reservatório térmico esteja abaixo dos mesmos.

Para que o funcionamento seja adequado, é preciso utilizar um sensor de temperatura. Ele é posicionado nas tubulações próximas aos coletores e ao armazenador térmico. Com a ajuda desse equipamento, há o controle do processo de aquecimento, de modo a manter a atuação estável e eficiente.

Nesse cenário, é preciso ter um cuidado especial com a seleção e com a instalação da motobomba. Ela deve ser adequada para água quente, além de ser protegida contra intempéries e com ventilação ideal. Além de tudo, é indispensável evitar as vibrações para que não ocorram ruídos ou danos.

Como cada uma funciona?

Com tantas diferenças entre os sistemas de instalação, também há alterações no funcionamento. Entre instalação de termossifão e a forçada, há uma mudança no posicionamento dos equipamentos e até no fluxo de água aquecida.

Conhecer as duas alternativas, inclusive, é o melhor modo de entender qual instalação é a indicada para a sua necessidade.

Circulação natural

termossifão

Na versão de circulação natural, como dito, o movimento se dá sem que seja preciso “incentivá-lo” a acontecer. Isso só é possível por causa da posição em que as placas são posicionadas, em relação ao reservatório e à caixa d’água.

O comum é que o boiler fique entre os coletores e o reservatório de água fria. O movimento ocorre graças à convecção, causada pelas diferenças entre o líquido frio e o quente. Com o aumento da temperatura, ele se expande e se movimenta naturalmente, o que permite que o líquido retorne para o reservatório sem dificuldades. Diz-se que a água fria (que é mais densa) “empurra” a água quente (que é menos densa, ou seja, mais leve). Este tipo de sistema é muito eficiente porém depende da máxima incidência solar para ter seu melhor desempenho, o que ocorre somente por volta do meio dia, quando o sol está exatamente sobre os coletores.

Circulação bombeada

Ao contrário da opção termossifão, a circulação bombeada tem que ser forçada a acontecer. Isso se dá pela questão do nivelamento. Nesses casos, os coletores solares costumam estar no mesmo nível ou até acima do boiler, o que impede que a convecção ocorra do modo adequado.

Para que o aquecimento seja viável, portanto, há a exigência de usar um bomba de água solar para fazer com que a água circule nos coletores. Este tipo de sistema também é recomendado para grandes obras, onde o volume de água e quantidade de coletores é elevada.

Qual tipo de instalação é o mais indicado?

Como são muito diferentes, é comum que ocorra uma dúvida entre termossifão ou circulação bombeada. No entanto, a definição é mais simples do que parece, já que inclui características essenciais — e que, às vezes, não podem ser mudadas. Vamos entender melhor.

Sempre que os coletores solares estiverem em desnível em relação ao boiler e à caixa d’água, é possível adotar o termossifão. Afinal, essa é a alternativa mais adequada por se tratar de algo natural, que não exige investimentos extras que deixam o sistema mais complexo e caro.

Essa também é a escolha mais prática e é por isso que é a mais popular. Sempre que possível, é indispensável dar preferência a esse tipo.

Por outro lado, o uso da motobomba é recomendado quando o desnivelamento entre coletores e armazenadores não é viável ou é muito caro para ser executado. Inclusive, é a melhor opção quando as placas devem ficar em um ponto específico distante do armazenador, ou em locais com pouco espaço para alocação do sistema.

De qualquer forma, a boa notícia é que não é preciso decidir isso por conta própria. Com a contratação de uma empresa especializada, os profissionais técnicos dirão qual é a alternativa ideal para cada situação. Assim, vai ser mais fácil obter máximo desempenho e aproveitar o aquecimento natural.

Entre instalação em termossifão ou circulação bombeada, a primeira alternativa é a mais prática e barata. No entanto, a versão que tem o auxílio do motor também é útil em muitos casos, então vale a pena ter orientação especializada para tomar as decisões.

Já que a escolha dos produtos é tão importante, conheça as nossas soluções e veja como podemos ajudar!